Avaliação do Ciclo de Vida

A Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) é uma metodologia de gestão ambiental surgida da necessidade das indústrias em melhor compreender suas cadeias produtivas (sejam produtos e/ou serviços), principalmente com relação aos seus impactos ambientais associados. Desta maneira encontrar um apoio mais solidificado e seguro para tomada de decisões, buscando uma maior sustentabilidade de suas ações.


A definição mais usual de ACV é: a compilação das entradas, saídas e dos impactos ambientais potenciais de um sistema de produto ao longo do seu ciclo de vida; sendo o sistema de produto o conjunto de processos e fluxos de produto (ambos na forma mais elementar) que desempenham uma ou mais funções definidas que modelam o seu ciclo de vida.


O ciclo de vida de um produto tradicional compreende quatro principais etapas:



A International Standarlization Organization (ISO) criou duas normas para esta metodologia, que já se encontram traduzidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) desde 2009. A ABNT NBR ISO 14040 aborda os princípios e a estrutura da Avaliação do Ciclo de Vida (contendo informações mais gerais) e a ABNT NBR ISO 14044 descreve os requisitos e orientações para a sua condução (com informações mais detalhadas). Estas normas enumeram em quatro principais etapas a ACV, que são relacionadas iterativamente conforme a figura 2:


Definição de Objetivo e Escopo
Análise de Inventário de Ciclo de Vida
Avaliação de Impactos de Ciclo de Vida
Interpretação

A ACV tradicional nos permite obter resultados mais completos do sistema de produto analisado com relação aos seus impactos ao meio ambiente, uma vez que pode abordar várias categorias de impacto e/ou danos em uma mesma análise. Apesar de requerer um inventário mais complexo, possibilita maior flexibilidade na modelagem e na interpretação dos resultados.


Com base no conceito de ciclo de vida, as ‘Pegadas’ são alternativas mais ágeis, com foco em categorias de impacto específicas. A Pegada Carbônica, Carbon Footprint em inglês, por exemplo, é uma ACV tradicional que quantifica as emissões de Gases do Efeito Estufa do sistema de produto analisado, traduzindo-as em Potencial de Aquecimento Global (Global Warming Potential - GWP), modelo desenvolvido pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC). A Pegada Hídrica ou Water Footprint (em inglês), é um indicador normatizado pela organização internacional Water Footprint Network e representa o consumo direto e indireto de água e a eventual poluição de corpos hídricos gerados por um sistema de produto.


Outras duas formas de ‘pegadas’ mais recorrentes são a Pegada Ecológica (Ecological Footprint) e a Pegada de Recursos (Resource Footprint). A primeira se encontra normatizada pela Global Footprint Network, e é um indicador que representa tanto o consumo de matérias-primas quanto as emissões de gás carbônico durante o ciclo de vida analisado. A segunda quantifica o consumo direto e indireto de recursos naturais (água, uso do solo, petróleo, gás natural, etc.) de um produto ao longo do seu ciclo de vida. Existem diversos indicadores que podem ser usados para se realizar uma Pegada de Recursos, mas o mais completo é a Exergia.


Inicialmente impactos sociais e econômicos não são abordados pela ACV tradicional. No entanto, considerando que o Desenvolvimento Sustentável se apoia em três pilares (ambiental, social e econômico), metodologias evoluiram a partir do pensamento em ciclo de vida, surgindo o Life Cycle Costing (ACV Econômica) e a ACV Social. A ACVE busca mapear os custos relacionados a um determinado produto ao longo de sue ciclo de vida, enquanto que a ACV Social busca fornecer informações sobre os impactos sociais causados pelas atividades do ciclo de vida avaliado.


Resultados alcançados por meio da ACV são cada vez mais visíveis nos meios industriais e comerciais, e são utilizados para o auxílio na tomada de decisões no que tange à sustentabilidade, para atender às exigências de mercados interno e externo, e também como fonte de informações para clientes no formato de recomendações selos ambientais (Já é comum encontrar selos ambientais com a Pegada de Carbono de determinados produtos). A ACV é recomendada por organizações internacionais como a principal metodologia para apontar os ‘hotspots’ e quantificar ganhos ambientais alcançados por mudanças propostas, como a Organização das Nações Unidas para a Proteção do Meio Ambiente (UNEP) em projetos voltados para a redução progressiva de impactos ambientais.

Telefone: (48) 3283-0015 - Avenida das Águias | Ed. Inaitec Pedra Branca | CEP 88.137-280 | Palhoça/SC (Grande Florianópolis)